É possível sim pintar o cabelo em casa e obter um excelente resultado, mas é preciso muita atenção nestes pontos importantes que separamos para você, veja:

 

Tinta não clareia tinta

Essa informação deve estar bem clara na sua cabeça, pois ao persistir na ideia de clarear os fios em casa usando tinta você corre um sério risco de ficar com a raiz de uma cor e comprimento de outra. Isso porque o processo de clareamento requer que a cor anterior dos fios seja removida antes de uma nova aplicação. Nesse caso, melhor recorrer a um bom profissional.

 

Siga as orientações da bula

Dependendo do fabricante da coloração, o passo a passo pode mudar. Por isso, mesmo que você já seja expert em pintar os fios em casa, vale ler atentamente a bula do produto. Assim você garante um resultado seguro, afinal, as informações não estão lá por acaso, né?

 

Veja se não tem alergia a tinta

Como qualquer composição química, as colorações em caixinha podem causar alergia. Apesar do teste cutâneo passar batido por muita gente, que resolve abrir a caixinha do produto apenas na hora da aplicação, o ideal é fazer a prova de toque 48 horas antes. A dica é passar a coloração na parte atrás da orelha, sem brincos, e reaplicar mais duas vezes quando a tinta secar. Se a pele não ficar coçando ou avermelhada, está tudo certo!

 

Compre a quantidade certa de coloração

Parece bobagem, mas já pensou se no meio do processo acaba a tinta? Aí, será um “Deus nos acuda”! Por isso, leve em consideração a quantidade de cabelo e o comprimento. Regra geral, para o cabelo fininho ou com comprimento médio, uma caixinha basta. Mais que isso, garanta dois ou três kits, se o cabelo além de volumoso, for longo.

 

A textura interfere na cor da coloração

Pouca gente sabe que cada espessura de fio reage de forma diferente à coloração. No caso dos fios grossos, por exemplo, é preciso escolher até dois tons mais claros que a cor desejada, já que ele é o mais resistente à nova cor. Se a espessura for média, opte por um tom mais claro. Por fim, quem tem cabelo fino pode ficar com o mesmo tom desejado, pois não haverá interferências.

 

No tom certo? Será?

Se você comprar apenas olhando aqueles quadradinhos de cores impressas na embalagem, há risco de errar a cor. Isso porque eles são apenas uma referência e podem sofrer alterações. Por isso, antes de aplicar a tinta no cabelo todo, separe apenas uma mecha fina na parte debaixo dos fios, na região da nuca e faça o teste da cor.

 

Retocar a raiz sem retocar o comprimento

Isso pode ser feito se a cor do cabelo não estiver desbotada. Assim você evita acúmulo de tinta fora da raiz, o que pode acabar deixando a cor alterada com o passar do tempo.

 

Sem manchas

Ninguém precisa saber que você pintou o cabelo, certo? Mas se aquelas manchas chatas da tinta deixarem a testa marcada, não terá como negar. Para evitar que isso aconteça, basta criar uma barreira que impeça a entrada dos pigmentos da tinta. Como se faz isso? Aplicando antes um óleo de amêndoas ou geléia de vaselina ao redor de todo o rosto, atrás da orelha e na região da nuca. Depois é só remover no banho mesmo.

 

Os brancos devem ser pintados primeiro

Isso porque os fios brancos não contém pigmento, levando mais tempo para que fiquem tingidos.

 

O que achou das dicas? Você já conhecia? Conta pra gente!