Eles caíram mesmo no gosto das brasileiras e não é pra menos: os óleos repõem nutrientes importantes para trazer os fios de volta à vida, com brilho, maciez e um cheirinho delicioso. Mas fique de olho pois também podem se tornar vilões quando usados em excesso ou se os ativos presentes na composição não forem aqueles que os fios precisam no momento. Não entendeu? A gente explica: cada cabelo tem uma necessidade que deva ser suprida com o óleo correto. Tratar os fios com ingredientes desnecessários e de forma excessiva pode resultar num cabelo pesado, opaco e oleoso!

Para não cair nessa roubada, veja o nosso guia de óleos capilares e entenda quais são os mais indicados para a sua cabeleira. Vale dizer que eles podem ser usados de duas maneiras: na versão concentrada ou misturados em xampus, leave-ins e máscaras. Se optar pelo óleo puro é possível fazer a aplicação antes da lavagem, após o banho com os fios ainda úmidos, no cabelo seco ou misturado em máscaras.

 

Raiz muito seca ou muito oleosa

Apesar de serem problemas aparentemente distintos, a causa geralmente é um desequilíbrio químico na raiz dos fios ou até resultado de um couro cabeludo doente. É exatamente nesses problemas que atua o óleo da árvore-do-chá, rico em  propriedades antibacterianas que vão mandar embora tanto o excesso de oleosidade quanto as descamações que formam a caspa.

 

Embaraçados e fracos

Sagradas no mundo mediterrâneo, as oliveiras são usadas como aliadas das madeixas há milhares de anos, já que contam com ácidos graxos e fosfatídeos. Esses ativos têm ação emoliente e deixam o cabelo super brilhoso, aumentando sua flexibilidade e restaurando os fios ressecados. Daí a dica para investir em óleo de oliva. Ele pode ser usado como pré-xampu ou após a lavagem como um leave-in,  sendo aplicado nos fios ainda úmidos.

 

Ressecados e sem vida

Para revitalizar aposte no famoso óleo de argan, que já é nosso queridinho no universo dos óleos. Ele é extraído de uma árvore do Marrocos, por isso também é conhecido como Morrocan Oil, e conta com 80% de gorduras insaturadas. Na prática, isso significa que funciona como um lubrificante, restaurando a hidratação natural dos fios. Mas atenção: se seu cabelo for oleoso este produto é contraindicado, pois deixará os fios com aspecto pesado. Já quem passou por químicas, alisamentos ou usa aparelhos térmicos com frequência é candidata certa a usar o produto, aplicando nos fios úmidos após a lavagem completa.

 

Queda

Se esse é seu problema, vá de óleo de pracaxi. Ele é típico da região amazônica e queridinho dos médicos para tratar problemas capilares como queda e caspa. Em sua composição está o ácido behênico, que é super hidratante e ajuda no combate a esses danos. Vale fazer misturinhas em xampu, condicionar e máscara ou usar diretamente sobre os fios úmidos.

 

Fios finos

Só quem tem esse tipo de fio sabe o sofrimento que é encontrar um óleo para chamar de seu, afinal, qualquer gotinha a mais deixa o cabelo fica emplastrado e põe um fim ao pouco volume que tem. Se esse é seu caso, invista em óleo de abacate, que costuma ser mais levinho. Ah, e aplique sempre com moderação.

 

Cacheados

A característica principal deste tipo de cabelo é concentrar o óleo na raiz, já que ele tem mais dificuldade de chegar ao comprimento e pontas devido ao seu formato espiralado. Resultado? Raiz oleosa e pontas secas! A boa notícia é que dá para melhorar a situação com o óleo de mongongo, um ingrediente de origem africana, que é rico em ácidos graxos e ômegas. Sua função é restaurar os fios, mantendo-os hidratados, sem frizz e ainda mais fortes. Aplique do comprimento para as pontas após a lavagem.

 

Indisciplinados

Cabelos muito finos ou crespos costumam ser indisciplinados, por isso, vale investir no óleo de macadâmia, que é extraído das nozes e conta com gorduras boas e responsáveis pela hidratação, reconstrução e melhora da elasticidade do cabelo. Aplique nos fios úmidos, após a lavagem., para obter um cabelo mais “assentado”.

 

Quebra e opacidade

óleo de monoï é extraído de uma flor originária do Tahiti, na Polinésia Francesa. Entre seus ativos estão os ácidos graxos que são hidratantes e possuem ação reparadora. Dessa forma, este óleo é capaz de fortalecer os fios e melhorar sua elasticidade e brilho. Use no cabelo seco ou úmido.

 

Com muita química

Escova progressiva, permanentes ou descolorações frequentes levam embora os nutrientes dos fios, que ficam fracos e sem as gorduras boas que protegem o cabelo. Por isso, uma boa pedida é o óleo de ojon, que é retirado da castanha de palmeiras e rico em lipídeos. Use nos fios limpos e úmidos.

 

Produtos

produtos1

1. Óleo de Oliva Umectação, Lola Cosmetics

2. Óleo de Argan, Inoar

3. Óleo de Açai e Pracaxi Pinga!, Lola Cosmetics

4. Creme de Tratamento Ultraprofundo Óleo de Abacate, Novex

produtos2

5. Óleo de Macadâmia com Argan Vitalcap, Belo Fio

6. Óleo de Monoi Millenar Oil, Amend

7. Óleo de Ojon Sérum Nutrire, Novex

 

Viu, só? Tem óleo para todos os tipos de cabelo e específico para atender as necessidades de cada um. Agora que você já conhece as características dos principais óleos, é só escolher o que mais tem a ver com o seu tipo de cabelo e arrasar!